cafézinhos açúcarados

Não digo que sou daqui, nem que viveria aqui.

Mas de uma coisa tenho certeza, “como é bom estar aqui”!

Se pudéssemos definir o tempo, diria que São Bento está próximo de um ritmo ideal.

Vejo os mesmos problemas da cidade grande enraizados nas pessoas que habitam este vale nebuloso.

É comum e é humano lidar com sentimentos e valores seja aonde for.

Há tristeza, há inveja, há felicidade.

O paraíso não é aqui, nem ali. Está em nós.

Feliz sou por esta oportunidade, mais uma vez.

Aqui na montanha a natureza grita.

Pode-se sentir o sol e a chuva escorrerem pelo corpo; posso caminhar na noite iluminada pela lua, ver, que lá distante no céu mais profundo, milhões de seres escrevem assim como eu sobre suas estrelas vizinhas.

Já, nos primeiros raios de sol, cumprimentam-se com “oba” e ” tudobom”, sorrisos e breve bate-papo, “cafézinhos açúcarados para agradar a visita” como eles mesmo dizem, esses, meus novos amigos.

(S.O)

30 de março de 2015